quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Relato sobre a última semana (7 a 14 de Fevereiro)

Conversei algumas vezes com a minha mãe pelo telefone nesse feriado e pude ter uma ideia de como está a situação com a minha avó.
 
O aumento para 400mg do Fumarato de Quetiapina ajudou, mas, pelo visto, ainda não foi o suficiente. Durante todos esses dias minha avó se manteve mais tranquila durante o dia e dormiu bem várias noites, porém, ainda teve algumas crises de agressividade. Sinceramente, não acho que isso vá mudar. O psiquiatra orientou minha mãe a agir da seguinte forma nos dias em que minha avó estiver muito agressiva: dar 100mg do Fumarato de Quetiapina durante a tarde e mais 400mg antes de dormir, totalizando 500mg num dia. Minha mãe fez isso alguns dias, mas não sei dizer se fez muita diferença.
 
A M. viajou essa semana e minha mãe está dormindo novamente todas as noites com a minha avó, mas os outros dias em que a M. dormiu foram muito bons para a minha mãe. É emocionalmente impossível cuidar de um idoso com Alzheimer sem ajuda e me sinto angustiada quando penso em todas essas famílias pelo mundo qu não têm condições financeiras de bancar um cuidador ao menos alguns dias por semana! Com alguém para ajudar já é MUITO difícil, sem ninguém eu diria que é inviável.
 
Minha mãe encontra-se desde então numa situação em que não pode mais se ausentar por 1 dia sequer da cidade em que mora pois minha avó fica extremamente agitada quando minha mãe se ausenta por algumas horas, quem dirá por um dia ou vários! A única distração da minha mãe era vir de vez em quando para BH me visitar e passar uns dias na minha casa, porém, agora, isso acabou.
 
Como é difícil ver as pessoas que amo terminarem suas vidas dessa forma! Meu avô teve um fim terrível, sofreu durante anos com sua insuficiência renal crônica e definhou até a morte com a hemodiálise... a família toda sofreu muito por todos esses anos, especialmente minha avó e minha mãe! E agora, 7 meses após a morte do meu avô, o Alzheimer da minha avó avança dessa forma e toda a família acaba mergulhando nesse sofrimento...! Como se as mazelas normais da terceira idade já não fossem o suficiente!
 
Ah, que me perdoe quem disse que a terceira idade é a "melhor idade", mas afirmo com todas as letras que essa frase é uma grande mentira! Atá agora, na minha família, a terceira idade está sendo a pior e mais tortuosa fase da vida, afetando a todos.

Um comentário:

catiapalhares disse...

Olá,
Descobri teu blog através do http://alzheimerdepapie.blogs.sapo.pt

Minha mãe também foi diagnosticada inicialmente com Alzheimer. Hoje sabemos que o que ela tem é Demência, em decorrência de várias e pequenas isquemias cerebrais.

Quando puder dê uma passadinha por lá. Embora eu não atualize por um bom tempo, você vai notar uma semelhança entre as nossas situações.

Esse período de agressividade de minha mãe já passou graças a Deus!

Força pra vc e pra sua mãe! Só quem passa por essa situação tem idéia do sofrimento que é!

O meu blob é http://alzheimerdemamie.blogspot.com.br/